domingo, 4 de maio de 2014

Feriado 1º de Maio 2014 - Compulsão - 1 ano e 1 mês

Feriado Prolongado – Jacada

Nessa quarta,  30.04.14, véspera do feriado prolongado, comemoramos nosso aniversário de “casamento” (29.04) na casa de massas da Famiglia Mancini.
Foi meu primeiro vinho após cirurgia. Tentei me comportar na entrada depois do episodio com a sardela. O vinho foi de boa, bebi mais da metade da garrafa (o marido foi pro suco natural depois para poder dirigir). Na hora da MARAVILHOSA massa Mezzaluna a San Marco (recheda de queijo e com tiras de filé mignon ao molho funghi)... eu não consegui me controlar.. fui comendo sem parar. Já estava cheia, mas a ideia de abandonar aquela comida era insuportável para mim.. ia pegando até com a mão do prato do marido. Até que ele pediu a conta, saímos, chupei sorvete, tomei iogurte e minha paz só chega mesmo quando caio no sono.


Ontem, 03.05.14, eu tive um casamento de um amigo do meu marido. Eu os conheço também, etc..
Enfim, passei muito tempo e dois dias integralmente procurando uma roupa para ir. Por ser ao meio dia em um antiquário eu tinha pensado em ir de vestido, mas de manga comprida (um pouco por causa da flacidez e muito por causa do frio insuportável que sinto o tempo todos). Mas todos os vestidinhos ficam muito curtos para mim, pelo menos para o meu gosto. Um pouco por causa do costume, mas tb por causa da flacidez nas pernas. Não sei se eu cheguei a falar aqui, mas eu estou longe de ser a das mais preocupadas com o lance da flacidez. No entanto, um vestido muito curto não me deixa a vontade, nem sei dizer o quanto é por causa da flacidez em si mesmo.
Quinta de feriado passei muitas horas no Offashion gastando horrores, mas não comprei a roupa do casamento. Quinta, na emenda, gastei horrores na José Paulino, mas pelo menos incluí o vestido, colar e sapato. Levei par minha mãe dar uma ajustadinha na cintura (medo de ela soltar comentários por dar apertadinha em vestido P, mas depois da última briga, acho que ela vai demorar um pouco para fazer isso).
Ontem foi o casamento. Quando a noiva de um outro colega deles me viu já começou: a cada dia eu vejo, ela está mais magra. Já ignorei sorrindo muito e acho que ela se arrependeu pois deu pra perceber o esforço que ela fazia para não continuar o assunto. Quando a mãe de um deles não me reconheceu, por exemplo, ela deu crédito também a eu ter cortado muito o cabelo, ele estar liso e mais escuro..
O fato é que, por mais que a opinião dessas pessoas não mudem nossa vida, ELAS ENTRAM NA NOSSA MENTE. Essa véia, por exemplo, me contaminou quando, na saída começou a perguntar se eu estava mais soltinha depois que perdi ‘uns gramas’, começou a contar da sobrinha anoréxica que está pesando 38kg e perguntou, na maior cara de pau se eu não estou magra demais.. FDP do c*****!!!! Eu devo ter trocado meia dúzia de palavras com ela há uns 3 anos atrás e agora ela se acha no direito de dizer que estou magra demais???? Ahhhh VTNC!!!!!!!!!!!!! Respondi: eu??? Eu to ótima!! Mas é inevitável percebi que enquanto ela falava essas coisas, mais eu enchia a boca de açúcar compulsivamente.
Bom, estou aqui para contar que nesse casamento foi mais uma vez que eu me assustei comigo mesma. E com a minha doença obesidade.
O almoço demorou devido a cerimônia e eu não via a hora de beber minha cerveja. Até me adiantei e pedi ao garçom para trazer a nossa. Como desce delicia. Nos petiscos, tentei focar mais no champignon e pedaços bem pequenos de queijo amarelo. No almoço, peguei dois pratões bem cheios de salada (folhas e legumes), mignon, kibe frito e frango assado. Regado a muita, muita, muita cerveja.. mas até então eu ainda estava no lucro. Até que um infeliz fala que vai á mesa de doces.. e eu, achando que estava no lucro demais, fui tb.. maldita hora!!! Como os outros são nosso inferno! Peguei um prato cheio (até nas bordas) de abacaxi, manga e melancia. Comi tudo em uns 3 minutos, levantei e fui lá, peguei outro prato cheio de abacaxi e manga e aí a compulsão se instalou pois eu comecei a comer os pedaços na fila, com a mão mesmo enquanto os outros se serviam. Eu sei que é muito feio, mas é a realidade da compulsão. Nisso eu comi o segundo prato na fila e já o liberei e enchi de mais: 2 pedaços de pavê de limão, um de pavê de maracujá, cheescake..  E vou te falar, deve ter sido feio de ver eu comendo com as mãos e eu agachava nas comidas das prateleiras de baixo e ia perguntando o que era e enchendo o prato antes da resposta. Como eu tinha a pulseirinha do casamento, podia pegar sem parar. Tem ideia de como isso seduz um gordinho? Quando sentei na mesa e fui comendo SEM RESPIRAR.. meu marido ficou em pânico, morrendo de medo de eu ter um dumping ou passar mal.. Ele falava para eu parar, mas eu não ouvia, eu não piscava, não tinha mais nada em volta de mim, é como se eu estivesse em um plano paralelo com o prato de doces. Ele ficou desesperado de verdade, ameaçava de me repreender na frente dos outros, nada adiantava. Eu não conseguia. Entao fomos embora. Na saída, tinha bolinho de chuva frito com açúcar e canela e uma cumbuca de doce de leite pra por por cima.. eu fui pegando desesperadamente. O doce de leite estava acabando e eu fui raspando e ponto em cima dos bolinhos.. mas com aquele olhar fixo de quem está enfiando na boca e mastigando enquanto enfia a colher mais na cumbuca. Não é como alguém que se serve e depois come, entendem? Tinha uma fila dos pagantes que ficou assistindo esse show e comentavam. Eu percebia, mas não conseguia parar. Alguém disse: pegaram bem casado? EU imediatamente me virei.. e fui.. a lembrancinha era uma caneca de chopp.. meu marido já tinha pegado, mas eu peguei outra e enchi de bem casado (eu pegava com as mãos cheias) e de paçocas, peguei muitos e enchi a outra mão amparando com o corpo pois não cabia tanto na caneca e nas mãos.. foi nessa hora que a véia maldita começou a comer minha mente. Coloquei a caneca sobre a mesa e fui enchendo o bucho de bolinho de chuva e enchendo de açúcar e canela.. e comendo. Falando com ela de boca cheia, fazendo questão de comer sem parar e de comer com a boca cheia. Que inferno. Na espera do carro vir do estacionamento comi mais bem casado de doce de leite.. Tinha um café e decidi ir lá comprar um expresso par ver se ele conseguiria cortar minha sequencia de doces, mas o carro chegou antes. Foi nessa hora que eu me toquei.. é realmente eu não tenho dumping, pq essa sequência de doces normais’ altamente açucarados,  nessa quantidade toda foi a primeira vez e eu não tive o menor sinal de qq dumping.


A sorte é que no caminho pra casa eu dormi no carro, como sempre acontece quando bebo dmais. Cheguei em casa bêbada ainda e dormi por cerca de 30/35 minutos. Acordei pensando o que eu ia comer.. estava querendo ir a uma hamburgueria.. Gente, doente é assim mesmo. Enquanto decidia (eu SÓ PENSAVA (PENSO) EM COMIDA), decido o dia em cima das coisas que vou comer ec.. Enquanto pensávamos, eu comi um melão com iogurte. Não, não é uma fatia de melão. Não, não é uma cumbuca de melão. Eu comi mesmo um melão inteiro, de uma vez regado de iogurte.
Achei melhor aproveitarmos para ir ao mercado comprar coisas pq se eu não colocasse alguma atividade no dia, eu comeria sem paradas até dormir em cima da comida (como já aconteceu várias vezes comigo).
No mercado, eu tive novamente aquela pane na cabine de não saber o que comer para comprar pois não sabia se sairíamos para comer, se eu comprava coisas pra comer em casa. Nesse caso se eu comprava algo menos calórico (como devia, claro), ou aproveitava parar comprar bombas de calorias que sempre tenho vontade de comer.. e meu marido, pra ajudar não decidia. Dizia que nada o apetecia pois ele não estava com fome, que ódio!!!!!!!!!! Ódio dessa gente normal que insiste em querer comer por fome!
No final fomos ao Emporio Moema, uma padaria muito bacana.. Pedi um hamburger de cordeiro. Foi a primeira vez que eu comi um hambúrguer (lanche completo) não preparado em casa depois da cirurgia. Obviamente com fome mesmo eu não estava. Acho que estava té meio ‘empapuçada’ de tanto que tinha comido e bebido..  Senti culpada pois nessa padaria chique tinha opções deliciosas realmente lights (o que é difícil) justamente nesse dia da jacada.. E eu pedi um hamburger.. Antes mesmo da comida chegar, tive que soltar o cinto da cintura pois a barriga estava explodindo. Fui fazer xixi para liberar espaço. E querem saber? Comi o lanche todo. =(( No caixa, comprei tridente para ajudar a fazer digestão.

Antes que alguém diga que eu possa pois já estou magra. O que está em questão aqui não são as calorias. Mas o mecanismo da compulsão que é o que me preocupa, que é a doença. Isso só tende a piorar e agravar agora que cheguei à minha meta. Fora que faz da minha mente o próprio inferno na Terra pois eu não tenho paz, só penso em comida.
Hoje não rolou de tomar café na padaria. Fiz meu café de sempre aqui mesmo.. mas com proporções de dar vergonha.. foram 350gr só de mamão (+chia, aveia, gergelim, trigo, iogurte...). Havia necessidade disso? Não.. e quando eu começo a jacar cedo.. é essa merda o resto do dia... pois aí fico só pensando qual a próxima coisa que vou comer, comer, comer..
Não faz 40 minutos que tomei esse café da manhã super reforçado e cheio de fibras pra ver se me ajudava na ansiedade e estou aqui confabulando de comer a metade do lanche do marido (sim, ele embrulhou a metade do dele para viagem).
É OBVIO que a cirurgia me ajudou sim. Mas fico impressionada em como sou um ponto fora da curva e como tão, tão, tão mais que os outros operados. Não tenho limite, ou não percebo limites, não tenho medo de vomitar ´q sei que não vou. As vezes que passei mal com comida, foi por causa da vesícula quando comi algo muito gorduroso como aquela maldita sardela da última vez.
Estou aqui pensando em acordar o marido antes que eu coma o pão dele e a geladeira inteira.. não consigo parar! Hoje o dia ainda promete muita compulsão.. =(( como queria estar livre desse tormento na cabeça o tempo todo, o tempo todo, comida, comida, comida....

Nem vou ler tudo o que escrevi. Deve ter muitos erros gramaticas, coesão, enfim... mas foi um desabafo e assim que quero que permaneça. Conto aqui não pq estou aberta a julgamentos, é só uma catarse. É minha, eu escrevo e falo minhas verdades pra mim mesma também, não estou aberta a julgamentos não.. Nesse momento estou aberta apenas a compreensão e ajuda.

4 comentários:

Robertson dos teclados! disse...

Ola querida. Embora não tenha o habito de comentar, sempre leio seu blog. Comecei a acompanhar justamente por ter me identificado tanto com suas questões. Dificilmente alguém que não sofra de compulsão alimentar irá entender nosso descontrole e obsessão perante a comida. Queria apenas te dizer que você não é a unica, e que te entendo. E te dizer também que nunca deixe de procurar ajuda. Terapia e exercícios físicos, embora pareçam clichê, ajudam muito. E busque ajuda naqueles que te amam. Fique bem.

Grande abraço viu!

Nati W. disse...


Flor,

Gostaria que você falasse e mostrasse mais fotos sobre a flacidez e tb sobre o dreno.

Acho que até setembro consigo operar. E essas duas coisas não saem da minha cabeça.

Tipo, eu sei q nem deveria estar pensando em plásticas e flacidez agora e sim deveria me preocupar em perder peso, mas é inevitável.
Eu sou mto mas mto chata com meu corpo e morro de medo de não suportar a flacidez e não ter dinheiro para fazer plasticas imediatamente.

E o dreno, já li mta coisa ruim e gente que nem sentiu. Estava pensando em contratar uma tecnica de enfermagem para ficar comigo.
Vc acha necessário?

Bjos

Nati W. disse...


- Sobre a compulsão, tente os COMPOSTOS FLORAIS do LABORCIV.
Te escrevi sobre eles no post anterior. A loja deles é na vila clementino, na sena madureira sabe? e tem online tb.

Acho que uma mistura de ALIPUS, DULCINOS, BALSAMUS E PRINCIPALMENTE O CALMINUS.
15 gotinhas 2x ao dia e se sentir maior necessidade.
Em duas semanas tenho crtz que vc estará muito melhor.
http://laborciv.com.br/loja/
(coluna esquerda COMPOSTOS FLORAIS)

- Outra coisa que pode ajudar e MUITO é o ho´oponopono.
Livro: Limite Zero, Joe Vitale.
Uma tecnica havaiana de meditação que vc pode fazer de olhos fechados ou abertos, super hiper simples. Onde vc LIMPA da sua vida qq questão.

- Outra técnica muito boa chama-se EFT (emotional freedom tecquine)
o André Lima em videos explica direitinho essa técnica.

- Eu sou mestra de Reiki, então tb aconselharia a vc procurar um profissional para te aplicar, nem que seja a cada 15 dias.
A Deuse, do deuseluz pode te ajudar tb, o consultório dela fica na rua nova york.
011 5044-0699
http://www.deuseluz.com.br


:)

A compulsão e a bebida não fazem parte do meu dia a dia, então eu não sei como te ajudar nessa parte a não ser te mostrar técnicas e métodos que comigo funcionam muito bem.

E com isso vc vai ter um autoconhecimento maior e vai saber como controlar isso dentro de vc.
Aliás tenho crtz que vc não vai precisar controlar nada e sim deixar o apego a compulsão ir embora da sua vida.

Vc vai superar isso eu tenho crtz absoluta!



A Fim de Viver disse...

Robertson, ler seu comentário me fez muito bem. Conseguiu me fazer sentir menos sozinha. Só não sei muito bem como (onde) te responder. Espero que leia esse recado.

Nati, muito obrigada por todas as dicas!! Eu, AINDA BEM, não precisei de dreno.. eu morria (morro) de medo. Apesar que garantem que não é esse bicho de 7 cabeças, enfim..
Quanto a técnica de enfermagem, pela minha experiência, não acho necessário. Isso porque eu precisei muito mais do apoio e compreensão da família pois eu chorava de vontade de comer.. É sofrido, mas vai dar certo!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...