quarta-feira, 28 de maio de 2014

Derrotas, frustrações, desesperança e solidão. 28.05.14 - (1 ano e 2 meses)

Não sei mais com quem compartilhar sobre as minhas derrotas e frustrações. Não sei nem mais se são dignas de serem compartilhadas. Elas são sequenciais, só aumentam. Em gravidade, em frequência, em todos os aspectos.
Em momentos como o de agora, sinto-me completamente sem esperança, sem horizonte, sem chances. Não tenho para onde ir. Não acho que vou conseguir um dia controlar essa doença. Comer, para mim, está tão acima de todas as outras coisas. Eu gostaria de fazer apenas isso da vida. Todos os dias. Todos as horas. Todos os momentos. 
Almocei sozinha. 500gr em 24 minutos (pq era tudo de difícil mastigação). E quer saber? Se não existissem outras pessoas, se não existissem regras... eu comeria outro prato. Saí pensando no doce.. Saí pensando em comida, em bebida. Tomei o milésimo fitoterápico (tentando evitar o Rivotril)
Juro que meu pensamento é que se eu não vou conseguir nunca ter sossego na mente, o melhor é desistir. De tudo.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Cinema e a estratégia da proteína - 15.05.14 (1 ano 1mês)

Eu não estava exatamente faminta, mas peguei 450gr no almoço!!! Fiquei envergonhada. O que consegui fazer foi guardar sorrateiramente o hamburger de proteína de soja  para comer depois (devia pesar uns 50gr). 
Tudo bem que me enchi de chá e uma latinha toda de balinhas sem açúcar e valeriane, masss consegui guardar o raio do hamburguer.

Hoje foi dia de rodízio, saí mais cedo. Fugida do trabalho.
O planejado era ir ao shopping aproveitar um cineminha. A hora que eu saí era a hora do lanchinho. Pensei em dar uma esticadinha para aproveitar para lanchar sorvete lá. Mas, no fundo, eu sabia que essa ansiedade iria estragar tudo e não ia ficar em sorvetinho. E foi veio meu lema à mente: o segredo é a proteína. Peguei o hamburger de proteína de soja (sim, gelado. sim, enquanto dirigia. sim, puro) e comi. Delícia. Ele ia me ajudar na saciedade.

Chegando lá, logo no elevador, promoção no Quiosque Brahma, chopp em dobro na Braugarten e eu morrendo de vontade.. Ahh se não fosse o piriri x gases constrangedores no outro dia no trabalho...
Fui me distrair em uma loja, fui à caça de um litro de chá gelado fora do shopping (já muito impaciente) e encontrei uma lojinha de alimentos japoneses e pensei.. preciso de algo aqui para aplacar meu 'nervosismo na boca'.. precisava comer.. Comprei esse troço de broto de bambu gelado, que se come com comida, mas ia servir pra mastigação. Ainda bem que a mulher do caixa me disse que não se come cru o shitake que eu estava levando pra fazer de snack no cinema. Sentei ansiosa na cadeira do cinema com o tal broto gelado, meu litro de chá, meu iogurte natural, chia e trigo. A palavra de ordem era proteína pra saciar e controlar a impulsão de beber/ comer. Deu certo!!!!!
Na saída, fui capaz de me dizer: consigo esperar para comer em casa.
Tudo bem que em casa fui impulsiva, mas em coisas saudáveis... Fiz bolinhos de clara com beterraba, hambúrgueres de claras com ricota e abacaxi de sobremesa. Molico de ceia.
Hoje consegui canalizar a impulsão. Ainda para a comida, foi tenso, mas não chutei o balde (mesmo que ainda pelo medo).
Mas amanhã é sexta..


segunda-feira, 12 de maio de 2014

2 º Fim de Semana de Maio - Jacadas (1 ano 1 mês)

2º Final de semana de maio e dia das mães.. cheio de pecadinhos do jeito que eu amo..

Sexta à noite - Bar em Perdizes 09/05/14
Uns 4 ou 5 chopes Brahma
1 Erdiger inteirinha
porção de filé mignon acebolado
porção de batata frita com parmesão (delícia)
pão francês

Doce (minha intenção era passar na doceria, mas capotei no carro)
Então rolou doce em casa feito de 2 bananas com canela 
1 pote iogurte grego
1 copo iogurte líquido
1 garrafinha iogurte Molico
granola, castanha, amêndoas e tal

** A foto da perna cruzada é pra dizer que sentar “igual índio” em um sofá de bar com uma calça jeans 36 é muito poder!!!! Eu me senti a magrinha e precisei registrar!!**


Sábado fim da tarde - 10/05/14 

Bar no coração da Vila Madalena com temática de futebol. Muito bom.
5 chopes Brahma
2 taças de vinho
Filé mignon acebolado
Pão com azeite (tentei não por muito azeite)
Saí de lá na busca pelo doce e entrei em uma padaria muito show.. comecei a chorar diante de um lanche de hambúrguer gelado que tinha lá.. fiz que fiz até comprar e comecei a comer ali mesmo.. deu aquela empaturrada (imaginam a forma que eu estava comendo né?!.. ainda mais depois das cervejinhas) .. O marido começou a negociar comigo que se eu deixasse para comer a metade em casa, esquentaria no grill e ficaria delicioso.. Ok, no caminho pra casa eu continuava beliscando enquanto ficava com a boca vazia. pq...
Falei de passamos no mercado, comprei avelã, amêndoas, castanhas, pote de salada de frutas... petisco de pistache salgado
No caminho vim comendo pistache torrado salgado no caminho, acabou.. comi o pote de salada de fruta, acabou.. voltei a beliscar o lanche.. Meu, cheguei em casa e descasquei 4 bananas insanamente e fui colocando canela.. Pra se ter uma ideia, eu piquei a banana diretamente na frigideirinha com o garfo enquanto amassava.. mas elas tão grandes que caiam.. Aí na minha parte, fui acrescentando.. castanha, trigo, granola, coloquei tanta coisa que ficou super seco.. aí comecei a tacar iogurte... geeeeeeeeeeeente do céu, ficou gigante, pesado, grosso (super calórico, claro).. e, obvio, eu comi tudo com um pote de iogurte grego do lado e dormindo ainda mais uma garrafinha de molico.. pqp empanturrada.



Domingo - Café da Manhã - Padaria super show - 11/05/14 - Dia das Mães

É que eu AMO café da manhã...
E era uma padaria muuuito top... Cafe da manhã de rainha... Tomei suco detox, salada de fruta com mirtilo (pobre qdo vai comer em lugar chique tem que escolher o qué é mais caro, rsrsrs)

Comi tb uma tapioca preparada na hora que era muitooooo grande.. Pedi com tomate, peito de peru, shimeji e duas porções de queijo... Estava bem recheada.. comi tb uns pedacinhos de panqueca de blueberry com mel. Eu estava ainda com intenção de tomar leite com pão na chapa, mas eu estava cheia... Me concentrei e pedi um pingado pequeno e veio um copão gigante.. Obviamente não consegui largar e bebi tudo e rápido pq gosto de leite fervendo!
Deu uns minutos e achei que fosse morrer de tao cheia. Parecia que meu abdome ia estourar.. Aff pra que né?
Em casa mal conseguia me mover. Conforme eu ia esvaziando, ja ia pensando em gordice de novo...



Almoço foi na sogra. Sabia que ia rolar lasanha entao levei alface, beterraba e cenoura raladas pra dar uma segurada na onda. Comi a salada (muita mesmo!!), um pedaço de lasanha de carne moída com muito molho e torta de frango (tinha muita massa). Estava cheia, mas não queria parar de comer. Queria pegar mais lasanha e torta... Foi duro mé concentrar e tuchar menos

Tarde/Noite com minha mãe.. .. e uma novidade é me aproveitar de que minha mãe está me achando magra demais e fica querendo que eu coma.. Então minha "estratégia" (desculpa), é de que.. ja que estou super jacando longe dela.. tb nao ficar economizando calorias qdo estou perto.. Mesmo que a situação favoreça, deixar pra fazer isso longe.. e foi em cima disso que eu levei o resto do dia:

Lanche da tarde - 3 potes de gelatina diet, 1 laranja, 650/700ml de café com leite (2 canecas da grande), 3 bolachas de maisena,  pão velho com margarina.. sabe aquele pão velho que meio que vira torrada.. a gente vai cortando e ele vai esfarelando e a gente come com miolo e tudo e é uma delicia (de que jeito pão nao é delícia??)? 
Na sequência bebi chá gelado, quente e outra gelatina.. Um pouquinho depois, 3 claras 

Em casa, a metade daquele lanche no pão de hamburger com um pote praticamente inteiro (sobrou só um cheirinho) de cottage, 7 torradas, 1l de chá quente, 1 carambola, 1 iogurte molico





quinta-feira, 8 de maio de 2014

Tentando quebrar o ciclo de super jacadas - (1 ano e 1 mês)

04.05.14 - Domingo


O dia seguinte à grande jacada do casamento.. eu não acordei exatamente com vontade de puxar o freio de mão de calorias, mas segui o dia só dando uma aumentadinha nas quantidades e me ocupando com atividades que me distraem e liberam energia (pra compulsão), tipo... lavar louça, recolher roupa do varal..  foi bom. À tarde fiquei sozinha, consegui me segurar, mas me dei um pote de sorvete de massa de whey. O duro é que quando ele acabou eu queria taaanto abrir outro..

Mas o bicho pegou mesmo foi à noite. Começou aquela angústia, aquela ansiedade só de pensar que a segunda estava chegando, o trabalho, a vontade de beber.. Eu tentava focar no fato de que nos dias seguintes das jacadas de cerveja eu tenho piriri/flatulências fedidas e isso me fez passar apuros mega constrangedores no trabalho. Diante desse cenário, tenho me imposto a regra de beber apenas um dia antes de um dia de folga (isso me libera pra beber sexta e sábado à noite). O problema é que meu comprimidinhos de Valeriane já não seguravam, o peito estava a milhão, as pernas inquietas (especialmente do joelho para baixo, é como se o sangue estivesse sendo bombado a 400km/h), a ansiedade me sufocando.. Caí no choro. Que desespero. Aí não teve como, rolou um rivotril sublingual de ação rápida. Fiz também uns litros de chá quente, enrolei maços grossos de alface em um resto de cottage que eu tinha, fiz claras no microondas, peguei bolachinhas de arroz, milhares de claras.. enfim.. 
O marido tem sido ótimo, vem pingar floral de bach pra mim, faz massagem nas pernas, muito preocupado, faz o que pode...






05.05.14 - Segunda

Na segunda, foi aquele auto stress no trabalho. Estou com consciência que o problema sou eu, não o trabalho atual. Fico muito nervosa, me cobro demais, fico agoniada com o tanto de coisa a fazer, pouco tempo enfim.. Contei cada segundo para as 18h e saí de lá correndo, morrendo de vontade de beber e...



Tomei alguns chopp (3 de 500ml) com isca de carne, pão (torrada temperada com farofa) e umas batatas fritas com catchup e mostarda. Mordidas no Whooper (Burger King) dele. O marido me enrolou para que eu fosse ao banheiro e aproveitou essa situação para jogar a bandeja no lixo pois eu não parava de comer e nem conseguia joga fora.
Chorei copiosamente diante do balcão de uma doceria pois simplesmente fui incapaz de escolher um doce pois eu queria todos. Um pote de sorvete de massa 200gr.


Depois voltei a chorar pois queria comer cachorro quente. Eu olhava e queria tudo. Fiz irmos parando de padaria em padaria ate achar uma coxinha bem grande (em uma, achamos mini coxinha, comi uma mas não me satisfez). Chupei mais um sorvete. Em casa, fiz um pote cheio de

iogurte, granola, trigo, amaranto, gergelim... Tudo virando direto do pote, sem colher..grande quantidade (foi uma espécie de vingança por sempre ter que medir tudo), yakult e iogurte de garrafinha (ja estava praticamente dormindo enquanto tomava, até derramava pela boca). Quando adormeci, tive paz.



06.05.14 - terça


Uma latinha de bala diet a tarde, muito chá, chá gelado, chá quente, vitamina C.. sempre algo na boca.
Ahhh que difícil !!! Chorar de vontade. Como pode?
Para resumir, a tática foi redução de danos. Comi muito para não beber. Comi coisas saudáveis e pouco calóricas para poder comer muito. 
Cheguei em casa daquele jeito. Já avisei o marido: preciso comer, rápido. Aí ele entende que estou insana pra comer, preciso que ele me ajude para que seja o mais rápido possível. Piso em casa, não tiro nem o sapato, fui direto pra geladeira. Viro chá gelado na goela, faço claras no microondas (1min) e vou comendo enquanto preparo a comida... A palavra de ordem é encher. Enquanto lavava a verdura, ralamos duas cenouras (sempre prefiro crua pra mastigar muito e ajudar na ansiedade e saciedade), comi um pepino tb.. ali, em pé.. sem picar.. Bife, claras ..  haja proteína pra ajudar na saciedade. Umas 13 claras.
O importante era se manter cheia, mastigando até o iogurte da noite na cama

07.05.14 - quarta
redução de danos.
300gr de repolho roxo, bife, claras, claras, claras e o iogurte..

08.05.14 - quinta
Hoje o dia começou difícil desde cedo... aquela ansiedade maluca no trabalho.. Foram uns 5 comprimidos de valeriane só de manhã, 3 litros de chá quente, quase 2litros de chá gelado, café da manhã, lanche, claras, balas, vitamina C..
Almoço? 420gr (de comida saudável) e raspei o prato. Picolé zero de sobremesa e mais chá gelado, bala diet e... ahhh hoje é meu rodízio, entrei e saí mais cedo.. há dias pensando em como seria sair com o solzinho, parar em um barzinho de calçada e ser feliz com uns chopes Brahma.. parece a própria visão da liberdade..
Muita concentração, muita clara* , muuito valeriane, 600gr de pitaya vermelha de lanche, 300gr de alface, lata de sardinha, carambola, muito chá e obvio.. elas, as claras. e consegui não ir beber (mas planejando ansiosamente uma saída amanhã)..
As peripécias gastro intestinais (profundo constrangimento no trabalho) do dia seguinte ... tem sua contribuição na minha resistência.
*(tinha 'apenas' 8 ovos em casa, fui ao mercado e comprei 80, sim, oitenta ovos extra grandes).. 5 pés de alface, enfim.. acho que eu precisava ver comida, comprar comida..
...

Não sei se já registrei aqui, mas minha terapeuta tem insistido comigo de buscar ajuda especializada em compulsão pois ela sente que não está conseguindo me ajudar o quanto preciso. 
Depois um tempo de resistência..
Amanhã tenho a primeira sessão com uma psicóloga especialista em distúrbios alimentares. Vamos ver...

domingo, 4 de maio de 2014

Feriado 1º de Maio 2014 - Compulsão - 1 ano e 1 mês

Feriado Prolongado – Jacada

Nessa quarta,  30.04.14, véspera do feriado prolongado, comemoramos nosso aniversário de “casamento” (29.04) na casa de massas da Famiglia Mancini.
Foi meu primeiro vinho após cirurgia. Tentei me comportar na entrada depois do episodio com a sardela. O vinho foi de boa, bebi mais da metade da garrafa (o marido foi pro suco natural depois para poder dirigir). Na hora da MARAVILHOSA massa Mezzaluna a San Marco (recheda de queijo e com tiras de filé mignon ao molho funghi)... eu não consegui me controlar.. fui comendo sem parar. Já estava cheia, mas a ideia de abandonar aquela comida era insuportável para mim.. ia pegando até com a mão do prato do marido. Até que ele pediu a conta, saímos, chupei sorvete, tomei iogurte e minha paz só chega mesmo quando caio no sono.


Ontem, 03.05.14, eu tive um casamento de um amigo do meu marido. Eu os conheço também, etc..
Enfim, passei muito tempo e dois dias integralmente procurando uma roupa para ir. Por ser ao meio dia em um antiquário eu tinha pensado em ir de vestido, mas de manga comprida (um pouco por causa da flacidez e muito por causa do frio insuportável que sinto o tempo todos). Mas todos os vestidinhos ficam muito curtos para mim, pelo menos para o meu gosto. Um pouco por causa do costume, mas tb por causa da flacidez nas pernas. Não sei se eu cheguei a falar aqui, mas eu estou longe de ser a das mais preocupadas com o lance da flacidez. No entanto, um vestido muito curto não me deixa a vontade, nem sei dizer o quanto é por causa da flacidez em si mesmo.
Quinta de feriado passei muitas horas no Offashion gastando horrores, mas não comprei a roupa do casamento. Quinta, na emenda, gastei horrores na José Paulino, mas pelo menos incluí o vestido, colar e sapato. Levei par minha mãe dar uma ajustadinha na cintura (medo de ela soltar comentários por dar apertadinha em vestido P, mas depois da última briga, acho que ela vai demorar um pouco para fazer isso).
Ontem foi o casamento. Quando a noiva de um outro colega deles me viu já começou: a cada dia eu vejo, ela está mais magra. Já ignorei sorrindo muito e acho que ela se arrependeu pois deu pra perceber o esforço que ela fazia para não continuar o assunto. Quando a mãe de um deles não me reconheceu, por exemplo, ela deu crédito também a eu ter cortado muito o cabelo, ele estar liso e mais escuro..
O fato é que, por mais que a opinião dessas pessoas não mudem nossa vida, ELAS ENTRAM NA NOSSA MENTE. Essa véia, por exemplo, me contaminou quando, na saída começou a perguntar se eu estava mais soltinha depois que perdi ‘uns gramas’, começou a contar da sobrinha anoréxica que está pesando 38kg e perguntou, na maior cara de pau se eu não estou magra demais.. FDP do c*****!!!! Eu devo ter trocado meia dúzia de palavras com ela há uns 3 anos atrás e agora ela se acha no direito de dizer que estou magra demais???? Ahhhh VTNC!!!!!!!!!!!!! Respondi: eu??? Eu to ótima!! Mas é inevitável percebi que enquanto ela falava essas coisas, mais eu enchia a boca de açúcar compulsivamente.
Bom, estou aqui para contar que nesse casamento foi mais uma vez que eu me assustei comigo mesma. E com a minha doença obesidade.
O almoço demorou devido a cerimônia e eu não via a hora de beber minha cerveja. Até me adiantei e pedi ao garçom para trazer a nossa. Como desce delicia. Nos petiscos, tentei focar mais no champignon e pedaços bem pequenos de queijo amarelo. No almoço, peguei dois pratões bem cheios de salada (folhas e legumes), mignon, kibe frito e frango assado. Regado a muita, muita, muita cerveja.. mas até então eu ainda estava no lucro. Até que um infeliz fala que vai á mesa de doces.. e eu, achando que estava no lucro demais, fui tb.. maldita hora!!! Como os outros são nosso inferno! Peguei um prato cheio (até nas bordas) de abacaxi, manga e melancia. Comi tudo em uns 3 minutos, levantei e fui lá, peguei outro prato cheio de abacaxi e manga e aí a compulsão se instalou pois eu comecei a comer os pedaços na fila, com a mão mesmo enquanto os outros se serviam. Eu sei que é muito feio, mas é a realidade da compulsão. Nisso eu comi o segundo prato na fila e já o liberei e enchi de mais: 2 pedaços de pavê de limão, um de pavê de maracujá, cheescake..  E vou te falar, deve ter sido feio de ver eu comendo com as mãos e eu agachava nas comidas das prateleiras de baixo e ia perguntando o que era e enchendo o prato antes da resposta. Como eu tinha a pulseirinha do casamento, podia pegar sem parar. Tem ideia de como isso seduz um gordinho? Quando sentei na mesa e fui comendo SEM RESPIRAR.. meu marido ficou em pânico, morrendo de medo de eu ter um dumping ou passar mal.. Ele falava para eu parar, mas eu não ouvia, eu não piscava, não tinha mais nada em volta de mim, é como se eu estivesse em um plano paralelo com o prato de doces. Ele ficou desesperado de verdade, ameaçava de me repreender na frente dos outros, nada adiantava. Eu não conseguia. Entao fomos embora. Na saída, tinha bolinho de chuva frito com açúcar e canela e uma cumbuca de doce de leite pra por por cima.. eu fui pegando desesperadamente. O doce de leite estava acabando e eu fui raspando e ponto em cima dos bolinhos.. mas com aquele olhar fixo de quem está enfiando na boca e mastigando enquanto enfia a colher mais na cumbuca. Não é como alguém que se serve e depois come, entendem? Tinha uma fila dos pagantes que ficou assistindo esse show e comentavam. Eu percebia, mas não conseguia parar. Alguém disse: pegaram bem casado? EU imediatamente me virei.. e fui.. a lembrancinha era uma caneca de chopp.. meu marido já tinha pegado, mas eu peguei outra e enchi de bem casado (eu pegava com as mãos cheias) e de paçocas, peguei muitos e enchi a outra mão amparando com o corpo pois não cabia tanto na caneca e nas mãos.. foi nessa hora que a véia maldita começou a comer minha mente. Coloquei a caneca sobre a mesa e fui enchendo o bucho de bolinho de chuva e enchendo de açúcar e canela.. e comendo. Falando com ela de boca cheia, fazendo questão de comer sem parar e de comer com a boca cheia. Que inferno. Na espera do carro vir do estacionamento comi mais bem casado de doce de leite.. Tinha um café e decidi ir lá comprar um expresso par ver se ele conseguiria cortar minha sequencia de doces, mas o carro chegou antes. Foi nessa hora que eu me toquei.. é realmente eu não tenho dumping, pq essa sequência de doces normais’ altamente açucarados,  nessa quantidade toda foi a primeira vez e eu não tive o menor sinal de qq dumping.


A sorte é que no caminho pra casa eu dormi no carro, como sempre acontece quando bebo dmais. Cheguei em casa bêbada ainda e dormi por cerca de 30/35 minutos. Acordei pensando o que eu ia comer.. estava querendo ir a uma hamburgueria.. Gente, doente é assim mesmo. Enquanto decidia (eu SÓ PENSAVA (PENSO) EM COMIDA), decido o dia em cima das coisas que vou comer ec.. Enquanto pensávamos, eu comi um melão com iogurte. Não, não é uma fatia de melão. Não, não é uma cumbuca de melão. Eu comi mesmo um melão inteiro, de uma vez regado de iogurte.
Achei melhor aproveitarmos para ir ao mercado comprar coisas pq se eu não colocasse alguma atividade no dia, eu comeria sem paradas até dormir em cima da comida (como já aconteceu várias vezes comigo).
No mercado, eu tive novamente aquela pane na cabine de não saber o que comer para comprar pois não sabia se sairíamos para comer, se eu comprava coisas pra comer em casa. Nesse caso se eu comprava algo menos calórico (como devia, claro), ou aproveitava parar comprar bombas de calorias que sempre tenho vontade de comer.. e meu marido, pra ajudar não decidia. Dizia que nada o apetecia pois ele não estava com fome, que ódio!!!!!!!!!! Ódio dessa gente normal que insiste em querer comer por fome!
No final fomos ao Emporio Moema, uma padaria muito bacana.. Pedi um hamburger de cordeiro. Foi a primeira vez que eu comi um hambúrguer (lanche completo) não preparado em casa depois da cirurgia. Obviamente com fome mesmo eu não estava. Acho que estava té meio ‘empapuçada’ de tanto que tinha comido e bebido..  Senti culpada pois nessa padaria chique tinha opções deliciosas realmente lights (o que é difícil) justamente nesse dia da jacada.. E eu pedi um hamburger.. Antes mesmo da comida chegar, tive que soltar o cinto da cintura pois a barriga estava explodindo. Fui fazer xixi para liberar espaço. E querem saber? Comi o lanche todo. =(( No caixa, comprei tridente para ajudar a fazer digestão.

Antes que alguém diga que eu possa pois já estou magra. O que está em questão aqui não são as calorias. Mas o mecanismo da compulsão que é o que me preocupa, que é a doença. Isso só tende a piorar e agravar agora que cheguei à minha meta. Fora que faz da minha mente o próprio inferno na Terra pois eu não tenho paz, só penso em comida.
Hoje não rolou de tomar café na padaria. Fiz meu café de sempre aqui mesmo.. mas com proporções de dar vergonha.. foram 350gr só de mamão (+chia, aveia, gergelim, trigo, iogurte...). Havia necessidade disso? Não.. e quando eu começo a jacar cedo.. é essa merda o resto do dia... pois aí fico só pensando qual a próxima coisa que vou comer, comer, comer..
Não faz 40 minutos que tomei esse café da manhã super reforçado e cheio de fibras pra ver se me ajudava na ansiedade e estou aqui confabulando de comer a metade do lanche do marido (sim, ele embrulhou a metade do dele para viagem).
É OBVIO que a cirurgia me ajudou sim. Mas fico impressionada em como sou um ponto fora da curva e como tão, tão, tão mais que os outros operados. Não tenho limite, ou não percebo limites, não tenho medo de vomitar ´q sei que não vou. As vezes que passei mal com comida, foi por causa da vesícula quando comi algo muito gorduroso como aquela maldita sardela da última vez.
Estou aqui pensando em acordar o marido antes que eu coma o pão dele e a geladeira inteira.. não consigo parar! Hoje o dia ainda promete muita compulsão.. =(( como queria estar livre desse tormento na cabeça o tempo todo, o tempo todo, comida, comida, comida....

Nem vou ler tudo o que escrevi. Deve ter muitos erros gramaticas, coesão, enfim... mas foi um desabafo e assim que quero que permaneça. Conto aqui não pq estou aberta a julgamentos, é só uma catarse. É minha, eu escrevo e falo minhas verdades pra mim mesma também, não estou aberta a julgamentos não.. Nesse momento estou aberta apenas a compreensão e ajuda.

domingo, 27 de abril de 2014

27.04.14 - Jacada e o café da manhã seguinte - Jig's (1 ano 1 mês)

Depois da jacada de ontem, hoje fui tomar café na padaria com a intenção de desintoxicar, mas pedi 1L de vitamina de frutas com chia que bebi em 11 minutos. Minha cabeça de gordo diz que um copo de suco não dá pra nada, por isso só peço de litro.. que m**** ! =(

O que me preocupa é essa porra de compulsão com a qual fico brigando 24h por dia.. que ódio de querer tudo e muito e o tempo todo.




Cheesecake





sexta-feira, 18 de abril de 2014

17.04.14 - Primeiro vexame social (1 ano)

Depois que voltei a beber semana passada e vi que beber não me causava mal estar, marcar um happy hour pra conhecer a namorada do meu irmão e aproveitar pra ir num boteco que eu estava com saudade foi a primeira providência.
Aguardei por esse dia como criança espera o Natal, pois adoro um happy hour. Esse dia foi ontem, véspera de feriado.
Sei que tinha tudo pra estragar a noite pela fácil absorção do álcool e tal, mas comigo nada disso acontece... Bebi mais e mais rápido que as outras pessoas. Comi uma deliciosa porção de file mignon numa ótima.
De lá, decidimos ir a uma cantina italiana (ideia minha). Uma delícia de cantina, muito colorida, barulhenta, muitos músicos, enfim... tudo que se espera de um ambiente de cantina, rs. Escolhi um prato maravilhoso que ia dividir pois....
Logo que cheguei, comecei errado... eu estava absolutamente fissurada, doida, ansiosa, sedenta por cair de boca no couvert de pão italiano. Quando voltei do banheiro, vi que eles tinham recusado o couvert, mas eu, gorda, fiz questão de chamar o garçom e pedir. Comecei a comer e já fiquei cheia... eu não consegui nem me concentrar no cardápio pra escolher decentemente... fui comendo e tacando molho de berinjela, manteiga e sardela... ah e uma fatia de berinjela cheia de molho e queijo derretido. Eu estava cheia mas não conseguia parar de comer, especialmente sardela com torrada temperada. 
Deu merda. Começou a me dar um mal estar muito grande. Fui tomando suco de abacaxi pra ver se ajudava. Quando chegou nosso prato lindíssimo de massa recheada com molho de vinho, eu tive que sair da mesa e ir dar um tempo no banheiro. A minha vontade era de deitar no chão ali mesmo pra esperar passar. Depois de um tempo meu irmão me pegou no banheiro e deitei no sofá na entrada da cantina e acabei com a noite de todos. Depois vim pra casa com todos me amparando. A cochilada que dei deitada no banco de trás do carro foi milagrosa e cheguei inteira e...
Inconformada comigo mesma!!!!!!!!!!!!!! Eu não precisava ter feito muito. Eu já tinha bebido, comido petisco de carne, era só ter segurado a compulsão do pão até a chegada do prato. Eu, com certeza, teria comido sem problema absolutamente nenhum, teríamos tido uma noite agradável, sem intercorrência nenhuma, super noite de gente normal, nem ia parecer uma bariátrica, teria enfiado o pé na jaca mas valendo a pena...
Fiquei passando mal (mas nem assim vomitei) por causa de uma porra de uma sardela (não compensa) e estraguei a noite. Que burrada!!!!
O episódio reforça o meu palpite de que a bariátrica não vai me faz passar mal, mas a falta de vesícula sim. Sinto que as coisas muito gordurosas é que me fazem mal, acho não estou com a mesma capacidade de digestão delas. E me mata que eu estava comendo feito louca sabendo que estava me fazendo mal (até avisei o marido por duas vezes), mas eu olhava o pão italiano/torrada temperada (que ele tirava do meu prato) e eu simplesmente era INCAPAZ DE PARAR DE COMER.
A menina (namorada do meu irmão)deve estar com aquele pensamento típico da população em geral... "tadinha, operou e não pode ter vida social que fica passando mal" ... E isso me deixa muito puta da vida pois não corresponde a minha realidade. E eu tive que passar por isso justamente no dia de conhecer a menina!?!?! Mil vezes ódio!!!!!!

Detalhe: cheguei a propor de voltarmos lá pra eu comer aquela massa! Obviamente o marido falou: voltamos lá outro dia pra vc come-la. Bebi 2 iogurtes ainda.



16.04.14 - Palestra de Operados - Instituto Garrido (1 ano)


Nunca tinha ido porque nunca tinha ficado sabendo. Foi conduzida por uma endocrinologista e acontece no auditório do Hospital Oswaldo Cruz. Achei meio direcionada pra quem não tem tanto tempo de cirurgia. O resumo da ópera é o mesmo: carne, carne, carne, carne, carne acima de todas as coisas, amém!
Frase impactante pra guardar:
* O que vai te manter magra pra sempre é a carne. Tem que comer de 150gr a 200gr de carne por refeição (almoço/jantar). Ela dá saciedade, é importante para construção do corpo e impede de vc se entupir de carboidratos. 
* Proteína de origem animal é tudo na vida.
* Perguntei, ela respondeu, mas ainda vou pesquisar para me convencer pois quero muito que ela esteja equivocada ou exagerando > Sem substituir a carne, mas se eu vou tomar um suco eu prefiro sucos cheios de beterraba, couve, etc.. e ela (interrompendo): não adianta! não adianta! não adiantaaa!! E eu: tudo bem que não absorve tudo, mas eu pensava que absorvia pelo menos 0,5% e já é alguma coisa.. Ela: Não, não adianta, não absorve NADAAA (pois a absorção é no duodeno que está fora do esquema digestivo do bariátrico). 
Gente, eu vou pesquisar pq 0% de absorção é difícil, né? Assim nunca mais vou comprar um sucão detox delicioso cheio de vitamina, vou pegar só suco de melão que tem menos calorias e mto menos vitaminas?! aff.. (Detalhe que eu tinha acabado de tomar um suco funcional - foto abaixo)
A outra coisa mega difícil que ouvi e me parece um preço caro demais foi que.. 
No bariátrico, a absorção do ferro é muito mais crítica em intensa. (Ok, isso eu já sabia, mas vem mais coisa mais pra frente). Isso acontece pois antes ela acontecia de maneira mais pausada devido todo o estomago que existia e agora o álcool cai nas paredes do sistema digestivo e já é absorvido imediatamente e por isso bebe-se e fica-se bêbado instantaneamente.
O problema é que o poder de dano do álcool no bariátrico, além de ser muito mais poderoso é CUMULATIVO NOS NEURÔNIOS E NO FÍGADO..
Pra resumir, fudeu!
Na hora eu pensei.. desculpa mas aí já é demais pra mim, isso não dá pra abrir mão.. Isso me deixou muito triste, preocupada e destruiu meu castelo de encantos de fazer dieta durante a semana pra poder ser feliz bebendo no fds. Mas até eu conseguir lidar com essa informação (este continua sendo o plano)

Fui falar no palco pro auditório do pessoal que vai operar.. estranho pq até lá, até nas observações do Dr Artur Garrido fiquei com a impressão de me julgarem muito magrinha.. Mas foram só elogios mesmo, que não parece que eu operei, que estou magrinha, que emagreci super, enfim.. Acabou que o depoimento saiu bem diferente do que eu gostaria, acho que não consegui ser clara devido a pressa e a ansiedade e as coisas que falei, sem contexto, pode ter dado uma impressão equivocada.. ou até de mentira.. o Dr me perguntou qto eu como em um almoço.. E naquele dia (e ontem tb) eu comi 400gr..eu falei, mas acho que não era a resposta esperada.. Será que acharam que era mentira?
Mas minha vontade era de "abraçar" aquele povo todo, contar tudo o que fosse possível, ser honesta, dar força, unir-me a eles na dificuldade de resistir todo dia.. enfim, acho que não dá.
Voltei pra casa bem atordoada e com uma certa de algumas coisas que ouvi..



11.04.14 Retorno de 1 ano no cirurgião e discussão com os pais (1 ano)


10.04.14 - Caretas de mãe que acha que está magra demais (1 ano)

Minha mãe veio em casa e viu minha calça 36. Eu fingi que não vi, mas ela fez uma CARA DE SOFRIMENTO/TRISTEZA/REPROVAÇÃO ao ver a numeração da tal calça que provoca em mim (mesmo sem dever) uma dor muito grande no peito, um mal estar, uma raiva.. afinal ela é minha mãe.. vê-la fazendo essa cara de sofrimento e reprovação é uma grandissíssima merda. Na minha ausência ficou, mais uma vez, questionando o marido sobre o quanto estou pesando, que estou magra demais, etc, etc, etc.. Decidi não ir lá no fds.

11.04.14
Fui à consulta de 1 ano no Dr Renato Ito, meu cirurgião. 
Sentido-me Gisele Bündchen ao entrar na sala de espera do Instituto Garrido (meu cirurgião) no alto da minha justíssima calça 36 (quem diria??????? Eu, nunca!!!!). Lembro de qdo eu media todos que entravam nessa sala de espera, imaginando a trajetória deles e se tinham conseguido emagrecer, se estavam bem.. Tantas dúvidas, tantos sonhos, que emocionante!!!
Parabéns! Parabéns! Parabéns! Emagreceu bem acima da média! Come super bem! Vitaminas ótimas! "Continue assim, fazendo como está fazendo!!!". Essa delicia de feedback e aquela sala de espera me faz lembrar todas as minhas inseguranças aterrorizantes e dúvidas antes de operar. Eu venci!!! (agora eh continuar lutando todos os outros dias da vida toda rsrs)
O difícil é ligar pros pais pra compartilhar a felicidade!e ouvir mais uma vez críticas de estar magra demais e acabar no choro... Que saco
 É impressionante,, como eles podem esquecer tão rápido do quanto fui (sou internamente) obesa.. como uma imagem atual pode ser TAO mais forte qto o medo/noção de quem que tomar muito cuidado pra não voltar ao esquema de antes..
Discuti com meu pai ao telefone, desliguei antes de falar com minha mãe, estou dando um tempo.. não falei mais ou fui lá.. não dá vontade sabendo que ficarão me olhando..



Obvio que na primeira sexta após ter voltado a beber, fiquei pensando em um happy hour sem parar, mas a minha vontade de beber estava suprimível e fazer isso seria importante para minha auto confiança e controle. Aproveitei e marquei um happy hour na próxima quinta véspera de feriado para conhecer a namorada do meu irmão. Acho que programar jacadas etílicas pode ajudar a não descambar a beber direto sem critério como antes. Fui de saladona pra ser feliz (sim, me faz feliz e ajuda minha ansiedade).


09.04.14 - Primeira vez que bebi após o inacreditável ano de abstinência (1 ano)


Foi na saída do trabalho, no boteco mais próximo (Serafim), com o marido. Fui sedenta, não dava mais pra resistir, já tinha passado vontade demais na última sexta, sentia que não compensava mais resistir.. e não da pra falar que esse negócio do povo estar me chamando de muto magra não pode tb ter influenciado, mesmo que inconscientemente.
Tomei Original, Bohemia,Erdinger, duas porções de filé mignon com cebola, pãozinho e ainda passei pra comprar abacaxi e ajudar na digestão. Antes de dormir não faltou meu Molico kkk
Não, não fiquei mega bêbada mega rápido como seria o lógico de uma operada como eu.
No outro dia eu fiquei "frouxinha" como diz minha amiga Juccy.. mas acho que não foi da cerveja (até pq isso não se repetiu da outra vez).. e mesmo as porções, não acho que teve gordura o suficiente para isso, mas.. 
No outro dia eu estava com um humor ótimo! rs



08/04/14 - Evento profissional - Reencontros e palpites com foto (1 ano)


Fui a um evento de ferramenta de trabalho e encontrei algumas pessoas de uma ex empresa (da qual saí 3 anos antes de fazer a bariátrica. Estava obesa, mas ainda não no auge). Duas de três pessoas simplesmente não me reconheceram.. Claro que eu adorei essa parte! A gente sempre sonha com esse momento, rs. No outro dia, choveram pedidos de amizade no Facebook. Inclusive de uma gerente comercial que não era muito íntima minha nem na época e estávamos esses 4 anos sem nos falar.. e ela NÃO estava no evento.. Mas, de alguma forma, totalmente bizarra, ela se achou no direito de me escrever isso... kkkkkkkkkkkkkkkkk
Várias respostas passaram pela minha cabeça... muito boas, mas que não continham palavrões foi apenas essa que escrevi aí em cima e a que mandei: "está tudo ótimo, fulana! Manda um bjo pra todos aí!" ... acho que saí tão por cima..





Lá no evento dei uma jacada, mas sem perder o controle. Não caí de boca no pão de queijo, mas comi tudo no almoço, no coquetel comi váááários canepezinhos, mas os menos gordos, não bebi cerveja ou espumante, mas por redução de danos, enchi o bucho (4 taças) de coca zero... e tomei muito, muito, muito chá (tipo uns 10) pra psicologicamente me compensar por não ficar enchendo o bucho dos petiscos delicinhas.. Aliás, que chá gostoso, roubei uns pra mim.
Olhem o cardápio do almoço. Comi esse delicioso petir gateau de doce de leite e nem passei perto de ter dumping.


04/04/14 - Vontade absurda de beber (1 ano)

04/04/14 - sexta - Vontade absurda de beber 

Sexta feira fui até o Shopping Frei Caneca encontrar o marido e lá nessa rua tem um boteco que já frequentei em outras épocas. Quando passei por ele senti uma vontade ABSURDA de beber, até chorei.. Parei o carro no shopping LUTANDO contra a minha vontade de ir até ele e beber. Acabei saindo do shopping e indo até lá. Fiquei parada, em frente a ele, olhando as pessoas colocarem cerveja no copo, bebendo felizes e eu chorava.. (acho que estava em uma espécie de TPM tb).. Ligava pro marido vir logo me acudir. Eu me sentia muito triste e pensava.. não compensa passar tanta vontade tb, posso morrer amanhã, é MUITA VONTADE. Mas eu resistia não por causa das calorias ou coisas assim, mas pq eu olhava aquela cerveja ali naquele cenário e eu sentia TANTO PRAZER que chega a me assustar.. Tenho consciência que não posso atribuir tanto prazer assim, ainda mais a uma bebida. E eu gosto tanto que meu medo é do que será de mim no dia seguinte e e seguinte, pois não consigo parar e ter regras e resistir, enfim.. Acho que foi o dia que mais passei vontade, chorei muito e senti tristeza pois me vi sem saída. Se eu resistir, sofro.. mas compensa? Mas se eu voltar a beber e sofrer por ser ainda mais difícil de resistir e ainda por cima prejudicar minha saúde e perda de peso. Nesse dia fui me arrastando até uma salada enorme que tem no shopping e depois comprei um casaco e uma calça jeans 36!! Pois é, oficialmente caibo em uma 36. Ficou mais justa que não sei o que, mas mesmo assim decidi comprar a mais justa pro caso de ela lacear. 

Aos otimistas de plantão, vai o meu recado: não, o fato de eu ter comprado uma calça jeans 36 não compensou eu resistir aquela maravilhosa cerveja. Infelizmente eu não funciono assim e o ponto alto desse tópico é a vontade descomunal que passei.
Era tristeza com revolta.


sábado, 29 de março de 2014

1 ano de FOCO !!!!!!! Antes e Depois

 
ANTES E DEPOIS - 1 ANO DE BARIÁTRICA
20/03/13 - 20/03/2014
 
1 ano de um FOCO incrível que eu (nem nenhuma das pessoas que me conheciam de perto) NUNCA imaginei que pudesse um dia ter!
 
 



quinta-feira, 27 de março de 2014

Roupinhas e Cabelo Comemorativos - 1 ano de Bariátrica


Ontem à noite fiz bonito nessa lojinha de gente magra do caramba (Forever 21)!! Desce o tamanho P filhota! ‪#‎vingançagordinha‬
 
No provador veio aquela coisa.. "pqp, como tô magrinha, magrinha mesmo!!!!"
 
Aproveito para mostrar (mais ou menos) a TOSADA RADICAL que dei  na cabeleira, comemorativa 1 ano de bariátrica.. para evitar encher a cara de chopp como sonhei fazer nesse dia pelo ano todo.. e tb para mudar, ficar mais prático e mais cara de magrinha rs..
 
Gente, confesso que fiquei meio chocada no provador.. o pensamento 'nossa, estou magrinha MESMO' é muito estranhooo e surreal..  Mas é muito bom não ter medo de experimentar roupas..  Nós chegamos lá, agora é equilibrar na corda bamba todos os dias!! Obrigada por estarem comigo!!!!!!!!!!
 

 
 

 


domingo, 23 de março de 2014

1 Ano de Bariátrica - Agradecimento e Orgulho

Essa semana eu completei 1 ano de cirurgia bariátrica. Nesse tempo, TANTAS coisas que eu gostaria de falar.. mas vou dividir apenas em dois momentos.

1) Em um breve email que mandei para as pessoas mais próximas que podem ser contadas nos dedos de uma mão que estiveram ao meu lado..

Há exatamente um ano atrás, acho que foi a noite mais tensa da minha vida. Eu não conseguia pronunciar uma palavra sem começar a cair no choro. Que decisão difícil! Até hoje quando paro pra pensar, mal consigo acreditar que fui tão corajosa. Mas consegui ser, tenho orgulho. 

Tenho gratidão à vocês, por existirem. Só por saber que estavam lá comigo em corpo e coração, me bastava. O resto era comigo. Acho que retribui fazendo minha parte.
Nesse um ano de vida nova, de tantos desafios e superações que jamais pensei ser capaz de transpor, eu me esforcei todo santo dia. E vocês continuaram comigo: ajudando, tendo medo, ficando felizes, acertando e errando _exatamente como fazemos quando amamos alguém. Obrigada por me amarem. Tenham certeza que esse amor é retribuído com todo o meu ser.

O desafio não acabou, mas obrigada por me permitirem continuar contando com vocês nessa nova fase que se inicia. Com novos medos, novas alegrias, fraquezas, conquistas, obstáculos... continuo precisando da presença de vocês. Poderia escrever um livro sobre tudo isso mas por enquanto, hoje, gostaria só de dizer com todo o meu amor: MUITO OBRIGADA!

Eu te amo!

2) Se fosse para eu escrever um texto, provavelmente seria muito próximo de um texto muito bem escrito e sentido por uma amiga que a cirurgia me trouxe. À Juccy Sales, que fez o belo e sábio texto abaixo, todos os créditos. Aliás, também é resultado das nossas inúmeras conversas e desabafos sobre tudo isso..

Hoje é dia de celebração, comemoração e reflexão...Hoje completo 1 ano de 
gastroplastia/cirurgia bariátrica/redução de estômago.

Muita coisa mudou nesses 365 dias e todo mundo pode acompanhar o “milagre que a cirurgia fez comigo”. Passei o ano falando das minhas vitórias e mostrando as fotos das conquistas e das surpresas. Parar de usar remédio pra controle de pressão, cruzar as pernas, usar rou
pas de lojas comuns, passar na catraca do ônibus, subir escadas e tantas outras coisas lindas que vivenciei nos últimos meses. Mas hoje queria aproveitar o dia pra abordar a compreensão deturpada que é construída em torno da gastroplastia e de quem recorre a ela. Aproveitar para alertar que não se trata de uma solução milagrosa, e, definitivamente, não é o caminho mais fácil. 

A cirurgia me deu um estômago pequeno e um intestino que absorve menos. Eu quero destacar aqui o que cirurgia não me deu, o que ela não fez por mim:

1) A cirurgia não mudou meu paladar. Não me fez experimentar verduras e frutas que antes me arrepiavam de nojo. A cirurgia não fez alface, pepino, pimentão, acelga, couve e tantos outros me parecerem deliciosos...Aprender a comer novos alimentos depende de mim!!!

2) A cirurgia não mudou meu jeito de ir ao supermercado. Ela não faz as melhores escolhas de produtos. A cirurgia não lê todos os rótulos de alimentos e identifica e negocia o meu corpo precisa e o que minha cabeça deseja. Escolher depende de mim!!

3) A cirurgia não me acorda às 5h da manhã pra caminhar. Não me faz preferir escadas a elevadores. Não me faz escolher caminhos mais longos ou percorrer algumas distancias andando em vez de ir de ônibus. Me mexer depende de mim!!!

4) A cirurgia não me faz seguir as recomendações da equipe multi que me acompanha. 

5) A cirurgia não me impediu de consumir açúcar, fritura, refrigerante, alimentos gordurosos, a maioria dos embutidos, enlatados e artificiais nesses 365 dias...Resistir depende de mim!!!

6) A cirurgia não perde tempo estudando cardápios e negociando a produção de pratos que os restaurantes, lanchonetes e bares estão acostumados a servir sem considerar qualquer orientação nutricional. Isso depende de mim!!

7) A cirurgia não monta meus pratos com a quantidade e qualidade adequadas pra minha necessidade. Isso depende de mim!!

8) A cirurgia não me faz respeitar os horários de alimentação. Isso depende de mim.

9) A cirurgia não leva potinhos com comidas possíveis pros lugares e eventos onde não há opções saudáveis. Isso depende de mim!!!

10) A cirurgia não diz NÃO às ofertas, aos convites e escolhas não saudáveis. Não me faz negociar comigo mesma os desejos e as renúncias. Isso depende de mim!!!

11) A cirurgia não me faz mastigar do jeito certo pra em 365 dias eu nunca ter entalado ou vomitado como é comum com os gastroplastizados. Isso depende de mim!!

12) A cirurgia não me lembra de tomar as vitaminas diariamente, fazer exames periódicos e frequentar os especialistas necessários. Isso depende de mim!!!

A cirurgia me ajudou a emagrecer, me ajudou a deixar de ser OBESA de acordo com o IMC que passou de 51 para 22.5. Me ajudou a ter ganhos incalculáveis na minha qualidade de vida. Mas a cirurgia não me fez deixar de ser o que eu era, de pensar como gorda e de querer agir como gorda. Eu me tornei gorda aos 7 anos e luto contra isso há mais de 20 anos. Muitos acompanharam este percurso. Seguramente a cirurgia foi e continua sendo um marco na minha vida, mas ela não fez um milagre em mim. As escolhas que eu preciso fazer diariamente são MINHAS e não são fáceis. Não mesmo. Não se chega aos 137kg do nada. Eu tinha e continuo tenho uma doença. Que agora, a muito custo, está sob controle. Não colocar o mundo (em quantidade e qualidade) dentro da boca não é natural pra mim. Requer esforço e negociações internas inesgotáveis. Me empenho pra que isso se torne o mais natural e tranquilo possível, mas não me iludo e me mantenho alerta sempre. 

Atravessar o marco de 1 ano assim saudável, leve, gostando do que vejo e de como me sinto é lindo. Ter podido compartilhar esse período de descobertas e reinvenções de mim mesma com pessoas tão queridas e poder contar com o apoio delas foi fundamental. Obrigada por tudo, à todos que de alguma forma participaram disso. Espero comemorar com esse sentimento de vitória muitos outros anos de vida nova.


É isso!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...